SEMPRE COM SAÚDE, SEMPRE NATUROVOS

Ano

Mês

TAGS

Artigo / 08.07.2015 Comer ovos faz as pessoas serem mais caridosas, diz estudo

Líderes de instituições de caridade, tomem nota. Para obter boas doações, é bom chamar o potencial doador para um café da manhã regado a... ovo! Começar o dia com três ovos pode tornar as pessoas mais caridosas, diz um novo estudo sobre como determinadas dietas afetam o comportamento.

 

Pesquisadores do Instituto Leiden para o Cérebro e Cognição, na Holanda, descobriram que um composto encontrado em ovos age sobre substâncias químicas do cérebro, incluindo a serotonina, o que faz homens e mulheres doarem duas vezes mais para a caridade. A pesquisa descobriu que altos níveis de triptofano, ou TRP, um aminoácido essencial encontrado em ovos, peixes e leite, desempenha um papel importante na produção de serotonina, a substância química do cérebro que está envolvida no humor e comportamento social. Níveis baixos têm sido associados com o isolamento social e agressão.

 

"Pela primeira vez, investigou-se como um composto contido em alimentos podem promover a caridade'', disse a equipe de pesquisa holandesa. "O nosso estudo é o primeiro a demonstrar que ela pode ser aumentada com suplementos alimentares".

 

Na pesquisa, 32 pessoas, entre homens e mulheres, fizeram uma série de testes e exames. Em seguida, 16 receberam um pó contendo 0,8g de TRP (aproximadamente a mesma quantidade encontrada em três ovos), e 16 receberam um placebo em pó.

 

Todos os participantes receberam 10 euros para participar da pesquisa e, no início, lhes foi perguntado se estavam dispostos a dar parte do valor para a caridade. Para testar a generosidade, caixas de doação para a Unicef, Anistia Internacional, Greenpeace e WWF foram espalhadas pelo laboratório. Após a contagem das doações, os pesquisadores descobriram que aqueles que tinham tomado o TRP deram, em média, um euro a mais que os que tomaram o placebo.

 

O efeito do TRP ainda não está tão claro, mas a teoria é que a oxitocina, um hormônio ligado ao comportamento social, está envolvida também.

 

"Pode ser provável que a vontade de doar dinheiro para uma instituição de caridade seja modulada pelo efeito que a serotonina exerce sobre os níveis de oxitocina", disseram os pesquisadores em um artigo publicado na revista "Frontiers in Psychology". "Nossos resultados apoiam a abordagem materialista de que você é o que você come".

 

Fonte: Jornal O Globo - 02/05/2015 

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Artigo / 02.07.2015 Pesquisa afirma que consumir ovos reduz risco de desenvolver diabetes

O consumo do ovo sempre foi polêmico na ciência e saber se ele faz mal ou bem para a saúde é um assunto que ainda vai render muita discussão. Uma pesquisa da University of Eastern Finland, publicada nesta semana no American Journal of Clinical Nutrition, acalorou o debate: segundo o estudo, comer ovos pode reduzir o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

 

Já é sabido que manter um estilo de vida saudável, com prática regular de atividades físicas e alimentação adequada, é crucial para evitar o desenvolvimento do diabetes tipo 2. Mas o consumo do ovo nunca foi consenso quando fala-se da doença. Algumas pesquisas associaram dietas ricas em colesterol (como as que levam ovo) a distúrbios no metabolismo da glicose e consequente risco da doença. Outras, mais recentes, mostraram que o consumir o alimento pode levar a um melhor equilíbrio da glicose. Em estudo populacionais, a associação entre os ovos e o diabetes ainda não foi bem investigada, e os resultados são inconclusivos. 

 

A pesquisa desenvolvida na Finlândia analisou os hábitos alimentares de 2.332 homens com idade entre 42 e 60 anos entre os anos de 1984 e 1989. Eles foram acompanhados durante 19 anos, e 432 deles foram diagnosticados com diabetes tipo 2.

 

O estudo demonstrou que os homens que comiam aproximadamente quatro ovos por semana tiveram um risco 37% menor de desenvolver diabetes, em comparação com aqueles que consumiam o alimento apenas uma vez por semana. A pesquisa considerou fatores como prática de atividades físicas, índice de massa corporal, tabagismo e consumo de frutas e verduras.

 

Uma possível explicação para o resultado é que, na Finlândia, o consumo de ovos não está associado a hábitos de vida pouco saudáveis. Além do colesterol (que pode ser prejudicial), os ovos contêm muitos nutrientes benéficos e que podem ter um efeito sobre, por exemplo, o metabolismo da glicose, diminuindo o risco de diabetes tipo 2.

 

A pesquisa também sugere que é difícil analisar os efeitos dos alimentos na saúde somente a partir de um nutriente isolado, como o colesterol. Em vez de se concentrar em nutrientes específicos, a pesquisa sugere que os estudos em nutrição busquem se focar cada vez mais nos efeitos da dieta de forma mais geral e suas consequências ao longo dos anos.

 

Fonte: Jornal Zero Hora - 03/04/2015

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Artigo / 07.06.2015 Ovo entra para lista de alimentos que ajudam a perder peso

O ovo foi banido de cardápio pelos médicos por alguns anos. Ele era acusado pela maioria dos especialistas de promover a alta do colesterol e até engordar. Agora, os estudiosos acreditam que ele foi mal julgado e que, na verdade, o alimento pode ser um forte aliado das dietas. 

 

Uma das mais recentes pesquisas sobre o ovo, foi feita pelo Departamento de Obesidade da Pennington Biomedical Research Center da Universidade do Estado de Louisiana. O resultado revela que ingerir o alimento pela manhã faz toda a diferença no emagrecimento. 

 

Os pesquisadores analisaram 152 pacientes, homens e mulheres, entre 25 e 60 anos. Parte do grupo consumiu toda a manhã dois ovos e outra parte adotou bagel - pão tradicional americano. Ao final de oito semanas, a perda de peso entre a turma do ovo foi 65% maior na comparação com os demais voluntários. 

 

O índice de redução de cintura também foi 34% maior entre eles, assim como a redução de gordura - 16% maior.

 

Outra pesquisa, realizada na Bélgica e publicada no Journal of Nutrition, apontou ainda que o ovo é capaz de diminuir o nível de ansiedade. E isso ajuda a tornar o processo da dieta um pouco mais fácil.

 

E para quem pretende, a partir de agora, adotar o alimento no café-da-manhã, experimente as seguintes receitas: 

 

Cardápio 1
1 xícara de chá branco + 2 fatias de pão integral com grãos + 1 fatia de peito de peru + 1 ovo cozido 

 

Cardápio 2 
1 copo (200 ml) de leite de soja light + 3 torradas integrais com tofú + 1 omelete (2 claras e 1 gema) + 1 fatia fina de melão 

 

Cardápio 3 
1 copo (200 ml) de suco de melancia + 1 fatia de pão integral com mussarela de búfala + 1 ovo mexido com tomate 

 

Fonte: Assoc. Gaúcha de Avicultura - Asgav

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA