SEMPRE COM SAÚDE, SEMPRE NATUROVOS

Ano

Mês

TAGS

Artigo / 26.10.2015 Benefícios do ovo vão muito além do desenvolvimento muscular

Quem acha que o ovo é o vilão da dieta está completamente enganado. O produto de origem animal é, na verdade, o grande trunfo para ganhar músculos além de garantir outros benefícios para o organismo. “Os nutrientes da gema complementam o que a clara oferece. Para quem faz dieta, o ovo agrega às porções de carne e frango semanais”, explica a nutricionista Ariane Pereira. Na clara, está 60% do peso do ovo onde você encontra água e a albumina, proteína essencial para o crescimento muscular, e é duas vezes menos calórica que a gema. Na parte amarela do ovo existem as vitaminas essenciais o organismo, como as do complexo B e outros minerais.

 

Conheça as vantagens que o ovo tem na sua alimentação.

 

Corpo em forma - Café-da-manhã

De acordo com pesquisas da Universidade de Connectcut (EUA), as pessoas que ingerem ovo na primeira refeição do dia se saciam com menos calorias durante as 24 horas seguintes, comparado a quem come apenas carboidratos. Coincidentemente, ou não, outro estudo que complementa a informação indica que pessoas com maior consumo de proteínas e menos carboidratos pela manhã, acham mais fácil manter o corpo em forma, segundo a Universidade de Illinois (EUA).

 

Corpo vitaminado

As vitaminas são compostos orgânicos que servem para fazer todo o seu organismo funcionar. Desde repor tecidos, a prevenir doenças. Por isso, é tão importante ter na dieta alimentos naturais. O ovo é uma excelente fonte de vitaminas A, D, E e B12, que, de uma maneira geral fazem bem aos olhos, pele, ossos e memória, respectivamente. As vitaminas e os sais minerais estão contidos na gema - que de vilã não tem nada. Você precisa de vitaminas que ajudam seu cérebro a funcionar e enviar com sucesso as sinapses. Para isso, é importante comer a gema do ovo também. “Nela está a colina, uma vitamina do Complexo B, que é relacionada à memória e tem suplementos que ajudam em todo o funcionamento”, diz Ariane.

 

“As proteínas de alta absorção e lipídio, que tornam biodisponíveis nutrientes importantes são associadas à prevenção da degeneração celular”, explica a nutricionista Betina.

 

Dieta balanceada

Não é saudável, tem poucos benefícios, mas que ovo frito é uma delícia, é! Infelizmente, por causa da fritura, o ovo tem uma fonte extra de gordura saturada - aquela que aumenta o mau colesterol (LDL) por causa do óleo que você adiciona para fritá-lo. “Além disso, você perde os antioxidantes e algumas vitaminas que são mais sensíveis ao calor, como a E”, explica Ariane. Prefira-o cozido - dá para colocar na salada e comer frio - mexido, omeletes ou poché. O colesterol contido no ovo é importante para sintetizar hormônios como a testosterona, que é um anabolizante natural do organismo, e a vitamina D que mantém as células saudáveis.

 

“O ideal é comer um ovo pós-treino. Se quiser ingerir mais proteína, quebre outra clara e adicione à receita”, sugere a nutricionista Ariane.

 

Músculos grandes - Crescimento

Um ovo cozido possui, em média, seis gramas de proteína. A quantidade não é suficiente para um dia, mas é uma excelente fonte ao longo da dieta. “A clara do ovo contém albumina, uma proteína que ajuda no desenvolvimento muscular”, diz a nutricionista. Ela é uma das principais propriedades que se unem às fibras do seu organismo para que seu corpo inche e cresça após a atividade física. “A parte branca do ovo ainda possui nove aminoácidos essenciais, tornando-a aliada para o aumento de massa muscular e contribuir na recuperação”, explica a nutricionista, Betina. Não dispense a gema: ela contém altas quantias de vitamina B12, essenciais na quebra de gordura para a construção muscular.

Pós-treino 
Apesar de tantas qualidades, a principal delas é garantir a reposição da proteína e carboidrato após a atividade física. Aproveite os benefícios – e o fato de ser um alimento leve para comer à noite – e coma o ovo (cozido, poché ou mexido) depois de treinar.

 

Ovo Cru 
Tem gente que substitui a proteína pós-treino por ovo cru para garantir a construção da fibra muscular. “Quando você coze a clara, uma proteína chamada avidina é inativada e você não aproveita a vitamina no desenvolvimento do músculo”, aponta Betina. Mesmo com essa vantagem, comer ovo cru não é bom. Há um grande risco de ser infectado pela Salmonella, uma bactéria que poderá deixar você doente por um bom tempo.

 

Armazene corretamente
Algumas geladeiras têm local para dispor os ovos na porta. Mas este não é o local ideal. “Além de ser a parte mais quente do equipamento, eles ficam soltos e qualquer movimento pode fazer a casca rachar, facilitando a entrada de microorganismos. Prefira a prateleira debaixo, junto com outros os crus. Caso quebre, não cairá sobre outro alimento”, ensina Betina.

 

Mas o ovo não precisa ficar refrigerado. Fora da geladeira, ele dura de 10 a 15 dias. Faça o teste para saber se ele está bom: coloque-o numa tigela e cubra com água fria. Se ele flutuar, descarte-o. Se afundar, é porque ainda pode ser comido. Lembre-se de sempre quebrar o ovo em uma tigela antes de adicionar à receita, algumas vezes o teste pode falhar.

 

Fonte: www.webrun.com.br

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Artigo / 01.08.2015 Maior produtor de ovos do Sul do Brasil realiza Festival do Ovo em outubro

A produção e os benefícios do ovo são destaque no Rio Grande do Sul, onde acontece o Festival do Ovo. Salvador do Sul é a cidade-sede desse evento que está ganhando fama e conquistando os gaúchos. O município é considerado o maior produtor de ovos do Sul do Brasil e tem nesse evento uma programação que visa celebrar os ovos e seus benefícios para produtores e a população em geral.  

 

A segunda edição do Festival do Ovo acontece no próximo dia 9 de outubro, em Salvador do Sul, cidade a 100 km de Porto Alegre. O evento promete mais atrações este ano, como o 4º Seminário de Agricultura e Meio Ambiente, que terá a avicultura como tema de palestras e debates. Os painéis terão participação de profissionais da Associação Gaúcha de Avicultura, a Asgav, e da Embrapa, abordando temas como o festejado Projeto Ovos RS, a legislação de postura comercial, a biosseguridade na postura e as boas práticas de fabricação nas granjas avícolas. Também haverá espaço no Festival do Ovo para um concurso gastronômico, que será definido pela comissão organizadora.

 

O 2º Festival do Ovo acontecerá no dia 9 de outubro, data do 52º aniversário de Salvador do Sul, e também celebrará o Dia Mundial do Ovo, no Ginásio Poliesportivo da cidade. Apresentações culturais e musicais divertirão o público no evento.

 

A cidade de Salvador do Sul, maior produtora de ovos do Sul do país, fica no Vale do Caí, na Serra Gaúcha. O município é também a sede da empresa Naturovos, uma das maiores exportadoras de ovos do país, que se destaca pela produção de ovos pasteurizados e pela automatização dos seus métodos produtivos.

 

Fonte: www.ahoradoovo.com.br

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Artigo / 15.07.2015 Pesquisa da Udesc Oeste revela que ovo é o alimento de origem animal mais completo em valor nutricional

Pesquisa elaborada por estudantes do curso de Zootecnia do Centro de Educação Superior do Oeste (CEO), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), revela que o ovo é o alimento de origem animal mais completo em valor nutricional e que seus componentes são inferiores apenas aos do leite materno.
 

O trabalho das alunas Suelen Serafini e Kaine Cristine Cubas da Silva e do aluno Júnior Gonçalves Soares revela também que o Japão e o México são os países que mais consomem ovos numa relação de um produto por habitante ao dia. No Brasil o consumo é de 162 ovos ao ano, mas é também utilizado na produção de massas, bolos e em outros tipos de alimentos.
 

Com auxílio do professor Marcel Manente Boiago, do curso de Zootecnia, a pesquisa revela também que a gema é a principal fonte nutricional durante os primeiros dias de formação do embrião. O ovo também apresenta as chalazas, estruturas que sustentam a gema no centro do ovo, e a membrana vitelina, que circunda e a protege, formada a partir de deposições diárias de nutrientes formados principalmente no fígado.
 

Os ovos comerciais são produzidos em granjas que utilizam poedeiras, e as coletas podem ser realizadas de forma manual ou mecânica, por meio de esteiras móveis localizadas nas calhas de coleta de ovos. De acordo com os estudantes,  após a coleta, os ovos são levados ao entreposto onde são classificados e embalados.

 

Refrigeração
 

De acordo com a pesquisa, o ovo pode permanecer no mercado até 30 dias após a postura, de preferência sob refrigeração. Porém, algumas empresas estipulam o prazo de validade conforme a data de embalagem dos ovos.
 

No entreposto, os ovos devem passar pela ovoscopia, análise de detecção de trincas na casca por incidência luminosa, não visíveis a olho nu. Também podem passar por lavagem com água clorada entre 40° e 45° com a finalidade de retirar as sujeiras da casca e a camada natural de mucina, que atua como proteção naural antibacteriana.
 

Durante a classificação, os ovos passam por nova análise, quebra de casca e são divididos em gema e clara ou mantidos integrais, para posterior continuidade do processo de pasteurização, que consiste em manter os ovos integrais a 60° por 3,5 minutos, ou desidratação.

 

Bactérias

O trabalho revelou também que durante sua formação no oviduto, algumas bactérias, como a Salmonella, podem contaminar o ovo antes que seja formada a casca na glândula calcígena ou útero, “gerando a contaminação das aves que irão se formar a partir desse ovo ou de quem o consumir”.
 

 

Fonte: Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA