SEMPRE COM SAÚDE, SEMPRE NATUROVOS

Ano

Mês

TAGS

Artigo / 08.05.2017 Veja os benefícios do ovo cozido para a saúde

Comer ovos diariamente pode ser muito benéfico para a saúde, por ser uma importante fonte de proteína animal e um dos alimentos mais completos e nutritivos que a natureza oferece.

 

Estudos recentes comprovaram que não existe relação com o consumo de ovos e aumento do colesterol no sangue. É um mito já ultrapassado.

 

O cardiologista Francisco López-Jimenez escreveu na página de internet da Clínica Mayo, dos Estados Unidos, que a maioria das pessoas saudáveis pode comer sete ovos por semana sem aumentar o risco de doenças do coração.

 

A contraindicação é apenas para quem já tem colesterol alto ou diabetes que, normalmente, só deve comer entre dois a três ovos por semana ou conforme prescrição de nutricionista.

 

A preferência deve ser dada ao ovo caipira ou orgânico, mas na falta dos mesmos pode-se optar por ovo de granja, cozido por 2 a 3 minutos.

 

Deve-se evitar os ovos fritos ou mexidos, pois, além de aumentar as calorias do prato, podem elevar os índices de mau colesterol no sangue.

 

Conheça os benefícios do ovo cozido:

 

Melhora a visão

O ovo contém uma sustância, chamada zeoxantina, além da vitamina A, que são ótimas para melhorar a visão. Quem come ovos diariamente pode prevenir degeneração ocular, o risco de desenvolver cataratas, além de auxiliar no aumento do alcance visual.

 

Previne o Mal de Alzheimer

A gema do ovo é rica em colina e auxilia na prevenção de Alzheimer. A substância também é utilizada na síntese da acetilcolina, neurotransmissor que ajuda a ter uma boa memória e melhorar a concentração.

 

Funciona como polivitamínico natural

As vitaminas são compostos orgânicos que fazem o seu organismo funcionar bem, repõem tecidos e previnem doenças. O ovo é rico em vitaminas K, E, D, A, folato, cálcio, ferro, fósforo, zinco, tiamina, colina, B6, ácido fólico, ácido pantotênico, vitamina B12, ácidos graxos e ômega-3.

 

Tem efeitos anti-inflamatórios

Os alimentos anti-inflamatórios agem fortalecendo as defesas e equilibrando nosso organismo, ou seja, aumentando nossa imunidade. O consumo de ovos, principalmente a clara do ovo, auxilia no tratamento de várias doenças inflamatórias como, artrite, dor de coluna, enxaqueca, sinusite, etc.

 

Regula o humor

Por ser uma ótima fonte de triptofano - aminoácido precursor da serotonina, substância que promove a sensação de bem-estar, reduzindo a ansiedade e regulando o mau-humor.

 

Tem baixo teor calórico

Além de oferecer proteína de alto valor nutritivo, um ovo cozido tem apenas 70 calorias, sendo muito utilizado por quem faz dietas e exercícios físicos, uma vez que na clara se encontra água e a albumina, proteína essencial para o crescimento muscular.

 

Possui ação antioxidante

Os carotenoides, a vitamina A e E, ácido fólico, zinco, magnésio e selênio são componentes presentes no ovo, que irão proteger as células dos radicais livres e evitar o envelhecimento celular, além de afastar o aparecimento de rugas precoces.

 

Fonte: Blasting News, 06/05/2017

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Artigo / 21.04.2017 A vitória dos ovos contra o fantasma do Colesterol
A vitória dos ovos contra o fantasma do Colesterol

Pesquisadores, nutricionistas e a classe médica de todo o mundo têm caminhado juntos na direção de um consenso: o consumo de ovos traz somente benefícios à saúde. Este alimento, hoje reconhecido como rica fonte de proteína, vitaminas, minerais e várias substâncias essenciais ao bom funcionamento do organismo, conquistou nos últimos anos mais uma vitória: está comprovado que ele não tem relação com o aumento das taxas de colesterol do sangue.

 

Para compreender a dimensão desta conquista, é preciso conhecer a origem da fama indevida que os ovos tiveram por tanto tempo. Os primeiros argumentos de que os ovos poderiam ser perigosos à saúde surgiram em 1968, por uma recomendação da American Heart Association em limitar o consumo de ovos para, no máximo, três vezes na semana. Isso se deu pelo aumento da incidência de doenças cardiovasculares nos Estados Unidos.

 

No entanto, na ocasião não se levou em conta muitos fatores relevantes e que de fato contribuíam para este quadro, como o consumo de calorias, os diferentes tipos de gorduras, alimentos refinados e açúcares ingeridos pelas pessoas. “Hoje esta realidade é bem diferente. Diversos estudos científicos têm sido realizados nas últimas décadas e comprovam que o ovo, ao contrário do que era especulado, não está vinculado à ocorrência de doenças cardíacas e ao acidente vascular cerebral”, afirma Lúcia Endriukaite, nutricionista do Instituto Ovos Brasil. Isso porque a quantidade de colesterol do ovo e de qualquer outro alimento não tem impacto direto sobre os níveis de colesterol presentes no sangue.

 

“Apenas 1/3 do colesterol do ovo é absorvido pelo corpo, sendo que cerca de 70% da substância é produzida pelo fígado. Com essa confirmação, é possível afirmar que o consumo diário do ovo está livre de qualquer associação com o LDL-c, popularmente conhecido como colesterol ruim”, reforça Lúcia.

 

Entenda o que é Colesterol


O colesterol é uma gordura natural de nosso corpo, que não se mistura com a água e, por isso, não consegue circular sozinha pelo sangue. Para que este fluxo ocorra bem e o colesterol chegue a seu destino final, que são glândulas e células, ele é transportado pelas lipoproteínas LDL, HDL e VLDL – siglas estas mais comuns na rotina de quem faz exames periódicos. Confira na imagem acima a diferença entre cada uma delas.

 

Existe um mecanismo no organismo que regula e controla a produção hepática, como também a excreção do colesterol através da bile, fluido que age como um “detergente” do corpo, facilitando a digestão de gorduras e a absorção de nutrientes no intestino. Quando precisamos de mais colesterol, há um aumento de sua captação por meio de gorduras que estejam livres ou sem função. Caso o intestino apresente funcionamento adequado, o colesterol é naturalmente eliminado do corpo.

 

Além destas funções principais, esta substância também serve de matéria-prima para outras demandas do organismo, como a produção da vitamina D, de hormônios como a testosterona e a progesterona, e compõe a estrutura dos neurônios, melhorando a transmissão dos impulsos nervosos.

 

Cabe ressaltar que em níveis normais o colesterol é uma substância essencial para o bom funcionamento do organismo. Apenas quando muito elevado, pode contribuir com alterações do sistema circulatório, tais como obstruções em artérias.

 

O colesterol alto não apresenta sintomas, portanto é recomendável realizar exames de sangue periódicos que contenham valores de lipídeos e de glicemia para que o médico faça o diagnóstico e o eventual tratamento. É importante que as pessoas tenham hábitos saudáveis de vida para que tenham um “HDL c” elevado e um “LDL c” baixo. “Além disso, este é comprovadamente um alimento acessível, de baixo custo e fácil de ser inserido na dieta alimentar”, conclui Lúcia.

 

Fonte: Instituto Ovos Brasil, 31/03/2017

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA
Artigo / 15.03.2017 Ovo: o grande aliado da alimentação infantil saudável

Recentemente, vários estudos científicos têm comprovado os benefícios do consumo regular de ovos, especialmente durante a infância. Alimento de fácil aceitação pelas crianças, saboroso, versátil para variadas receitas, barato e acessível a todos, o ovo é muito recomendado para compor a dieta neste período da vida.

 

Ao longo do crescimento e desenvolvimento das crianças, o processo de alimentação passa por algumas fases. Enquanto feto, a maior parte dos nutrientes é transmitida por meio do cordão umbilical, o que torna essencial a boa alimentação das gestantes. Inclusive, é recomendado que aumentem a ingestão de ovos no período, pela maior demanda nutricional que possuem.

 

Depois do nascimento até os seis meses de vida, a alimentação das crianças deve ser constituída essencialmente do leite materno, quando a amamentação é possível. No entanto, a partir do sexto mês se deve incluir, de forma gradual, novos alimentos na rotina de um bebê. A alimentação pode incluir papas salgadas, nas quais o ovo deve ser inserido triturado. Com o passar dos meses, a textura destas papinhas deve ser alterada para um alimento cada vez menos amassado, até que ela consiga consumir receitas similares às dos pais.

 

Nesta fase da vida as necessidades de proteína são mais altas no organismo, pois esta substância participa diretamente na formação e no crescimento de diversos tecidos. Neste sentido, o ovo se torna uma opção muito interessante por diversas razões. A primeira delas é que, em média, cada unidade do alimento fornece 6g de proteína completa, de alto valor biológico – ou seja, possui em sua composição aminoácidos essenciais para o organismo. Outro benefício do ovo é sua fácil digestão e absorção pelo corpo, que aproveita muito bem a capacidade nutricional.


Assim como nos adultos, também fazem parte das demandas nutricionais da criança todos os micronutrientes, sobretudo as vitaminas e minerais, além de carboidratos e gorduras, necessárias ao fornecimento de energia. Os ovos são ricos em vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K) e do complexo B, em minerais como ferro, fósforo, zinco e selênio, além de luteína e zeaxantina, e ácidos graxos essenciais para a boa saúde das arterias, além de nutrientes com função antioxidante, que combatem radicais livres.

 

Aliado para combater a anemia

 

É bem comum a ocorrência de anemia em crianças, também conhecida como anemia infantil. Definida como uma redução na concentração de hemoglobina e vinculada à deficiência de substâncias como o ferro e outros nutrientes, a anemia é classificada como a mais prevalente carência nutricional do mundo.

 

Para ajudar a prevenir a incidência desta enfermidade, que pode acarretar prejuízos sérios no desenvolvimento psicomotor e na capacidade de aprendizagem de crianças, o ovo surge como poderoso aliado. Além de ser fonte de ferro, o alimento contém a vitamina B12 e ácido fólico, componentes que funcionam como “matéria-prima” para a hemoglobina, ao lado da vitamina C, presente em frutas e verduras, e o selênio que tem grande participação no aumento de imunidade.

 

Importância da Colina na fase de crescimento

 

Alem de possuir tantas substâncias e nutrientes essenciais ao desenvolvimento do organismo, o ovo tem recebido recentemente grande destaque da classe médica por ser um alimento rico em colina. Esta é uma das vitaminas mais importantes no que se refere ao processo de desenvolvimento cognitivo de crianças, além de aumentar o foco em atividades intelectuais, como os estudos, e oferecer maior disposição para a prática de exercícios físicos.


Os benefícios do nutriente se estendem às gestantes e ao feto. Já é comprovado que o aumento da ingestão da colina durante a gravidez reduz os riscos de defeitos no fechamento do tubo neural – estrutura esta responsável por dar origem ao cérebro e à medula espinhal no feto, e essencial para que o sistema nervoso tenha formação e desenvolvimento apropriados. Isso diminui a possibilidade de que os bebês, ao longo da vida adulta, desenvolvam diabetes e hipertensão.

 

Fonte: Instituto Ovos Brasil

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA